O mundo dos Nós

Um nó diminui a resistência da corda?

E a resposta é sim, um nó diminui a resistência da corda. Mas como acontece e quanto de fato diminui?

Primeiramente vamos falar um pouco sobre as características de um bom nó:

  • Deve ser fácil de fazer em qualquer circunstância e condição.


  • Permitir ser desfeitos facilmente mesmo depois de submetido em tração.


  • De forma alguma deve se soltar espontaneamente.




Quando efetuamos um nó em uma corda, estamos criando curvas nela, onde a parte interna dessa curva acaba ficando mais curta do que a externa, assim quando submetida a tração as fibras externas receberam carga superior do que a interna.


Pode parecer um pouco complicado no primeiro momento, mas na realidade é bem simples. Quanto mais fechada for a curva (mais brusca) maior a força exercida na parte externa da corda, logo maior a perca de resistência.

Perda de resistência dos nós:

- Oito Duplo: 25% a 30%

- Laís de Guia: 33%

- Pescador Duplo: 30%

- Volta do Fiel: 45%

- Boca de Lobo: 55%

- UIAA: 35% Os valores pode variar de acordo com a bitola (diâmetro) da corda, superfície a qual está amarrada e direção de tração. Aqui estamos falando de nós bem feitos e ajustados.


Existe uma infinidade de nós e variações e seria tecnicamente impossível saber de todos e suas aplicações, mas como aqui tratamos de técnicas verticais, devemos no mínimo dominar um ou dois nós de cada grupo mais comuns que utilizamos, são eles:


- Nós simples ou básicos

- Nós de Alça

- Nós de junção/Emendas

- Nós Blocantes

- Nós Dinâmicos

- Nós de arremate


Conhecendo e executando com perfeição um ou dois nós desses grupos, são suficientes para o montagem dos mais variados sistemas.


A performance de um nó será afetada, basicamente, por quatro fatores a serem entendidos: 1) Leis físicas da Mecânica; 2) A estrutura do nó; 3) O tipo de material ao qual ele foi atado; 4) Condições ambientais e de uso do mesmo. 1) Leis Invariáveis da Mecânica Como todos os objetos no universo, os nós também estão sujeitos às leis da Mecânica. Dentre as forças mecânicas que irão afetar o funcionamento de um nó estão a Fricção, Tensão, Compressão e Cisalhamento. A forma exata como essas forças influenciarão no desempenho de um nó depende de fatores como sua estrutura, o material ao qual foi atado e as condições ambientais.

2) Estrutura O bom funcionamento de um nó depende diretamente da sua forma e configuração. O aspecto mais característico de um nó, ou seja, as formas das voltas e dos segmentos que ele apresenta, inclui as dobras, laços, amarras, alças, fios em paralelo e curvas. Porém, mais importante do que saber como a estrutura está delineada (desenhada), é certificar-se de que o nó está apropriadamente atado, com bom acabamento e se a forma que está recebendo a carga é adequada. Esses três fatores são fundamentais para um nó funcionar como o esperado. Lembre-se que um nó, por mais bem feito que seja, sempre reduzirá a resistência de uma corda. No entanto, se seu acabamento for negligenciado, se ele não estiver firme (apertado) e se a carga aplicada conferir ângulos desnecessários ou muito acentuados, provavelmente isso afetará mais ainda a estrutura, aumentando ainda mais o risco sobre a estrutura.

3) Tipo de Material Um nó será menos ou mais eficiente dependendo do tipo de material que compõe a corda ou fita na qual ele é atado. A espessura do material e suas condições físicas também são fatores importantes. Cada material tem características distintas quanto à extensibilidade, elasticidade, bem como diferentes características superficiais e coeficientes de fricção, todos os quais afetarão diretamente seu poder de preensão. Além disso, cordas mais finas são mais frágeis e sujeitas ao rompimento do que cordas mais espessas de um mesmo material. 4) Ambiente e Condições de Uso A performance do nó é afetada pela forma em que ele é utilizado em um sistema de cordas e amarras, por variadas condições atmosféricas como temperatura, umidade e se a corda está seca ou molhada, além de contato com óleos, lubrificantes (protetor solar, por exemplo) e corpos estranhos que podem estar presentes no chão ou em outros objetos. A resistência das amarras é afetada pelo objeto no qual ela foi envolvida, como um tronco, um bloco de rocha ou um aparato de metal. Além disso, a carga que incide sobre um nó pode ser aplicada constantemente (tensão contínua como no rapel, por exemplo) e com cargas alternadas (momentos com carga e momentos sem carga, como na escalada), sendo que algumas cargas podem ser aplicadas em direções desfavoráveis como aquelas provocadas por obstáculos (uma quina de pedra) ou que provoquem puxões laterais em sua cauda.


Bem, hoje ficamos por aqui

Forte abraço

Cerrado Vertical


Posts recentes

Ver tudo