Segurança Durante o Rapel


A segurança é um dos fatores mais importantes quando falamos em técnicas verticais e deve margear todas as atividades desenvolvidas, da aproximação até o rapel propriamente dito.


Mas como é feita a segurança do praticante?

Bem existem algumas formas seguras para realizarmos as nossas descidas, vale lembrar que aqui estamos falando de descidas esportivas, as técnicas utilizadas no trabalho em altura (acesso por corda) variam muito das esportivas.

Dito isso, vamos aos nossos pontos:


  • Toda atividade esportiva seja ela cachoeirismo, canionismo, escalada ou simplesmente um rapel, deve ser praticada com no mínimo dois participantes, em hipótese alguma em solo. Essa medida visa diminuir uma serie de riscos como a síndrome da suspensão inerte, mas isso é tema para outra postagem.


  • Os sistemas devem ser montados de forma que facilite um resgate, com ancoragens dinâmicas e ou com mais de uma via de acesso.


  • Os participantes devem ser autônomos e capacitados para operar os sistemas, ou estarem sob a supervisão de capazes.


  • Ninguém é experiente o suficiente ou super poderoso para descer sem o auxílio e resguardo de um sistema de segurança.

Depois desses pontos vamos a como a segurança e feita de fato, ela pode ser feita das seguintes formas:


- Segurança feita por cima

- Segurança feita por baixo

- Auto segurança.

Segurança feita por cima (debreagem)

Consiste em o operador que se localiza próximo a ancoragem ir descendo (dando corda) a outro participante que está conectado no chico dessa mesma corda por um nó, ou com o auxilio de uma corda extra, assim o praticante faz a descida normalmente mas levando consigo uma outra corda conectada ao sistema de segurança. Essa técnica denomina-se debreagem, a corda deve se manter sempre esticada, em hipótese alguma o participante que está descendo deve parar sem que o condutor esteja sabendo, devido ao fator de queda (faremos outra postagem sobre isso também).


Segurança feita por baixo


Quando se trata de cachoeirismo na maioria das vezes existe uma trilha ligando o topo da cachoeira até a sua base, sempre que não se prefira debrear um participante para que ele possa chegar na parte de baixo e fazer a segurança dos demais, deve-se enviar pela trilha para que de baixo com as cordas nas mãos, o participante possa proporcionar a segurança na via de rapel. Quando não for possível realizar esse processo então devemos adotar o procedimento da debreagem ou da auto segurança para o primeiro participante chegar em solo.


O funcionamento dos equipamentos de frenagem é bem simples: ele se dá por atrito, então quando o segurança em solo estica a corda, ele adiciona atrito no equipamento de frenagem, fazendo com que quem está descendo pare, proporcionando assim uma segurança vinda de baixo para quem está descendo. Utilizando essa técnicas o segurança deve estar sempre atento a quem esta descendo e com a corda em mão sem deixar uma folga excessiva para não dificultar a frenagem.




Auto Segurança


Em alguns casos o praticante precisará fazer a sua própria segurança, com a utilização de equipamentos bloqueadores ou com a confecção de um nó auto-blocante. Vale lembrar que sistemas blocantes utilizados em cursos d’agua podem causar afogamentos e devem ser evitados. Esses sistemas de auto segurança são melhores empregados em ambiente secos, como na escalada ou em rapel seco.





A segurança feita por cima, por baixo ou a auto segurança, devem estar presentes durante todas as descidas. Lembrando que todas as técnicas devem ser aplicadas por pessoas capacitadas.


Forte braço.

Cerrado Vertical.

Posts recentes

Ver tudo